Super Mario Ball (Nintendo Gameboy Advance)

59245_frontNão é nenhum segredo que a Nintendo explora ao máximo o seu canalizador para as mais variadíssimas tarefas. Para além de salvar a princesa Peach na maioria das suas aventuras, Mario também é piloto de Karts, jogador de golf, ténis, basquetebol, futebol entre outros desportos. Mas nunca tinha sido uma bola de pinball até ao lançamento deste Super Mario Ball para a Gameboy Advance. Não é a primeira vez que vemos uma mascote a ter este papel, já o Sonic Spinball tinha saído algures em 1993. Este meu exemplar foi comprado algures em Setembro na cash converters de Alfragide por cerca de 2€. Vamos lá prosseguir com a rapidinha.

Apenas cartucho

Apenas cartucho

Para não fugir muito ao que é esperado de um jogo do Mario, a princesa Peach foi novamente raptada pelo Bowser e cabe-nos a nós salvá-la. Como? Bom, transformando Mario numa bola e percorrer diferentes cenários como mesas de pinball. Para conseguir entrar no castelo do Bowser no entanto precisamos de percorrer todos os outros cenários e recolher uma série de estrelas e chaves, estas obtidas ao derrotar o boss de cada sítio. Petey Piranha ou King Boo são algumas das caras conhecidas que iremos enfrentar. Embora não seja obrigatório coleccionar todas as estrelas (são 35), temos de coleccionar estrelas suficientes para abrir todas as portas que nos deixam explorar outras salas, tal como no Mario 64. De resto, para obter as estrelas geralmente teremos de derrotar todos os inimigos numa sala, o que nem sempre é tão fácil quanto isso, ou então resolver alguns puzzles que podem até envolver o uso de power ups, esses que podem ser comprados (com as moedas amealhadas) em lojas presentes nalgumas salas, ou obtidos naturalmente. Temos cogumelos que nos deixam maiores ou menores, raios que derrotam todos os inimigos presentes no ecrã ao mesmo tempo, múltiplas bolas (que são na verdade ovos de Yoshi), entre outros.

Antes de escolher o nível que queremos visitar, podemos ver quantas estrelas e/ou chaves nos faltam encontrar

Antes de escolher o nível que queremos visitar, podemos ver quantas estrelas e/ou chaves nos faltam encontrar

Graficamente é um jogo interessante, todas as sprites e cenários são pré-renderizados, tornando o jogo bastante rico em detalhes. As áreas de jogo consistem em vários locais familiars da saga, como os campos verdejantes de Mushroom Kingdom, incluindo o moinho de Petey Piranha ou a casa assombrada do King Boo, as tradicionais áreas subaquáticas ou o deserto e pirâmides egípcias que me fizeram lembrar o primeiro Super Mario Land. As músicas são também bastante agradáveis, como é habitual nos jogos do canalizador.

O jogo é bastante colorido e com gráficos pré renderizados, mas bem detalhados

O jogo é bastante colorido e com gráficos pré renderizados, mas bem detalhados

Apesar de o subgénero de jogos de pinball não ser de todo o meu preferido, este até é um jogo divertido, embora sinceramente, dentro do mesmo género e com mascotes, o Sonic Spinball acabou por me marcar mais.

Advertisements

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em Gameboy Advance, Nintendo com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s