The Cyber Shinobi (Sega Master System)

cybershinobiO artigo que vos trago cá hoje é invariavelmente mais uma rapidinha a um jogo que teria potencial (e a obrigação também) de ser muito melhor, pois pertence a uma das séries mais aclamadas e hardcore de todo o catálogo da Sega: Shinobi. Pelo nome do jogo dá logo para antever que mistura ninjas e ciborgues o que só por si tinha tudo para dar bem: um jogo com as mecânicas clássicas do Shinobi mas passado no futuro. Infelizmente foram uns furos ao lado, mas ainda assim é um jogo que eu fazia questão em comprar, precisamente por fazer parte de uma série que aprecio bastante. Este meu exemplar foi comprado a um particular por 10€ há coisa de uns 2 meses atrás.

The Cyber Shinobi - Sega Master System

Jogo com caixa e manual europeu. Se há coisa que sempre gostei foi da arte da capa!

Este jogo começa logo por causar enorme confusão no ecrã inicial ao apresentar o subtítulo de Shinobi Part 2. Ora, este é um assunto peculiar pois tanto o Shadow Dancer, como o Revenge of Shinobi são sequelas do original, sairam antes e o jogo que por cá conhecemos como Shinobi III chama-se Super Shinobi II no Japão – devido a ser uma sequela ao Revenge of Shinobi/Super Shinobi. Há por aqui uma confusão de números, mas um dia destes ainda perderei algum tempo em falar nesta série como um todo. E sendo este um jogo futurista, encarnamos num descendente do Joe Musashi, meio ninja, meio máquina, no seu combate à Cyber-Zeed, o novo sindicato do crime a ser derrotado.

screenshot

A detecção de colisões ser má por vezes até nos ajuda a não perder vida quando deveríamos

As mecânicas de jogo, na sua essência, não são muito diferentes às que os Shinobi da Mega Drive nos habituaram. Controlamos um ninja que tanto pode atacar inimigos próximos com uma espada, como usar armas de longo alcance para os que estejam mais distantes. Mas em vez de shurikens, temos tiros de metrelhadora e granadas. Infelizmente a espada do ninja tem um alcance demasiado curto que mais parece que está a usar uma faca de cozinha, mas como a detecção de colisões também não é a melhor (e por vezes até funciona a nosso favor), acaba por não ter assim grandes problemas nessa questão. Outra coisa que nos salta logo à vista são todos os indicadores e números que ocupam um terço do ecrã. Temos medidores de vida, munições, tempo restante para completar o nível ou mesmo o Ninjutsu que podemos usar e quantas vezes. Ao longo do jogo iremos encontrar várias caixas que ao serem partidas albergam itens que vão enchendo cada uma destas barrinhas, seja vida, munições ou os tais ninjutsus. No final de cada nível temos sempre um boss mas sinceramente sempre os achei um pouco desinspirados – são apenas veículos que mal se mexem.

screenshot

Apesar de não ser novidade alguns bosses em jogos desta série serem veículos, esperava mais alguma vida nestas batalhas

Tecnicamente é que é o que mais me deixa triste. É um jogo com um scrolling muito mau por não ser nada fluído, bem como as animações em si de practicamente tudo, desde os inimigos simples, até aos bosses que apesar de serem grandinhos, são uma sprite gigante com poucas ou nenhumas animações. Há níveis em que vemos pedras gigantes a serem atiradas contra nós. Essas pedras não têm transparências, notando-se perfeitamente o quadrado que as compõe, apesar das mesmas serem redondas. Isto revela algum amadorismo de quem desenvolveu o jogo, pois é algo que não em muitos outros jogos nesta consola. As músicas deixaram-me com sentimentos mistos, pois algumas até foram do meu agrado.

No fim de contas, minha opinião este é um jogo que me deixou algo desiludido. Mesmo sendo uma espécie de spin-off na série, a reputação que a série Shinobi nos deixou a nós jogadores, era obrigatório que o resultado final fosse muito melhor. É pena!

Anúncios

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em Master System, SEGA. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s